Fragmentado: entenda a história do filme e quais as discussões propostas

by

Eu tenho visto muitas séries e filmes perturbadores ultimamente. Comecei com 13 Reasons Why, que, querendo ou não, já te deixa um pouco pilhado. No feriado resolvi assistir Ninfomaníaca, que é perturbador, com certeza, e depois assisti Fragmentado. Esse sim, te deixa de boca aberta sem entender o que está acontecendo. E é exatamente sobre esse filme que vim conversar com vocês hoje.

O filme Fragmentado traz muitas cenas clichês em que você já consegue entender quais serão próximos passos dos personagens. Mesmo assim ele também tenta, a todo custo no início, romantizar a questão do transtorno dissociativo de personalidade. E, agradeço pelo final trágico já que esse assunto deve sim ser levado a sério. Então, vamos para a resenha.

Trailer do filme Fragmentado

Aposto que você já assistiu ao trailer em que três jovens entram no carro em um estacionamento, mas ao invés do pai de uma delas entrar e dirigir o veículo, outra pessoa vem e sequestra as meninas. Se não, aperta o play agora, que esse é justamente o trailer do filme Fragmentado.

Depois de uma cena inicial dessas, você não consegue esperar menos do filme do que correria o tempo inteiro. Mas não. Espera que não é bem assim. Vamos entender direito.

O jovem Kevin, interpretado por James McAvoy, possui transtorno dissociativo de personalidade. Isso porque ele possui 23 personalidades diferentes, que conversam, vestem e pensam de formas completamente distintas. Por isso, não se usa mais o nome de dupla personalidade e sim Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI).

E se você pensa que ele é o Kevin em algum momento do filme, eu vou te dizer que isso acontece apenas uma vez! Tanto que ele pergunta se não é o ano de 2014 ainda. Imagina, ele não está mais dominando o corpo dele. São outras pessoas que estão ali. Outras personalidades.

Consulta com especialista

E ele sabe desse problema, tanto que faz um acompanhamento com uma especialista que estuda justamente o que essas personalidades são capazes. Mas o problema é que ela, em nenhum momento, tenta fazer com que ele volte a ser Kevin, ela fica, em cada consulta, tentando entender qual personalidade é aquela que ele está mostrando. Essa é justamente a área em que ela estuda, tanto que dá uma palestra sobre isso no início do filme.

fragmentado crítica filme

Nessa pesquisa ela constatou que essas personalidades conseguem ser diferentes não só na personalidade em si, mas nas habilidades físicas também. Como quando alguém é cego, mas uma das personalidades acaba desenvolvendo a visão, por exemplo. E parece que Kevin é como se fosse um objeto de estudo para ela. Afinal, alguém com 23 personalidades diferentes não se encontra em qualquer esquina, não é mesmo?

Não que eu ache errado, tem que estudar para entender essas situações mesmo. Mas ela, de certa forma, sabia que ele era perigoso e não fez nada para ajudá-lo. Afinal, isso poderia prejudicar outras pessoas. E foi justamente isso o que aconteceu.

História do filme Fragmentado

No decorrer do filme Fragmentado parece que aquele sequestro fora planejado minuciosamente. Tanto que uma das personalidades de Kevin, uma criança de 9 anos, revela que ele estava atrás dessas garotas há um tempo e que até tinha melhorado o local em que as colocaria recentemente.

O que ele quer fazer com as garotas não fica claro. Primeiro pensamos que ele deseja abusar das três. Mas não é o que acontece ao longo dos dias em que elas estão presas. Depois começamos a pensar que seria apenas um desejo de uma das personalidades de ver uma mulher dançando nua. Mas não é isso que é exibido.

Então, a situação começa a ficar complicada quando notamos que existe uma outra personalidade. Sim, são 24! E, acredite ou não, as teorias da psicóloga estavam certas. Essa personalidade possui uma força extraordinária capaz de não deixar passar facas e até tiros pelo corpo. Algo, realmente, irreal. Quase com superpoderes.

Toda a contextualização do filme te faz entender essa nova personalidade como possível. A própria pesquisa da psicóloga já te faz abrir os olhos em relação à isso.

Mas até essa nova personalidade aparecer, meu amigo, demora, viu? E ficamos nesse vai e vem de personalidades durante todo o filme. É fato que pouquíssimas dessas personalidades são perceptíveis ao longo do filme. Mas, mesmo assim, já fazem uma reviravolta em nossa mente que é perturbadora.

Como o abuso infantil é tratado no filme

O filme vai além do Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI) e entra também no abuso infantil. Uma das jovens, a interpretada por Anya Taylor-Joy, era abusada sexualmente pelo tio, ainda criança. Depois que o pai morre, ela é encaminhada para viver na casa do tio. Ela tem marcas pelo corpo que remetem à esse abuso. Ao longo do filme vamos entendendo o que a garota passa, principalmente porque ela começa a ter flashbacks de quando criança aos poucos.

fragmentado crítica filme

Então esses pontos identificados como críticas do filme, devem ser notados e levados à sério. Não vou contar nos mínimos detalhes o que acontece dentro da casa. Mas são situações que terminam sem um fim. Não tem um end. E principalmente, não apontam uma solução para a bipolaridade de Kevin e nem para o caso do sequestro.

Pode até ser que essa seja a intenção, falar que ainda não há e ou que nem exista uma cura para isso. Mas, é fato que ao falar o nome completo de Kevin, ele volta a ser ele mesmo, então, se certa forma, há uma solução sim apresentada. Que não rendeu frutos, mas já é uma solução.

Além disso, a narrativa do filme é bem lenta e confusa, você fica sem entender as situações e em choque várias vezes. Mas achei interessante o silêncio que a jovem abusada fez quando a policial disse que o tio foi buscá-la. Ficou no ar que talvez, pelo menos essa situação, será resolvida.

Já assistiram ao filme? Mandem o que acharam nos comentários!

+ Leia a entrevista com o cineasta M. Night Shyamalan

Até o próximo post,
Beijos
-Aninha Carvalho

IMAGENS: Reprodução filme Fragmentado

23 Responses
  • Bárbara
    junho 13, 2017

    Transtorno dissociativo de identidade não tem nada a ver com bipolaridade. São dois transtornos mentais bem distintos.

    • Ana Clara Carvalho
      novembro 30, 2017

      Isso, expliquei no post. Obrigada pelo retorno, Bárbara. Só assim consegui descobrir que estava confusa a minha explicação.

  • Amanda
    setembro 3, 2017

    Adorei sua sinopse

  • mauro bastos
    setembro 10, 2017

    eu achei o filme chato e sem graça não faz júz a tantos comentários. chega a ser irritante.

    • x
      outubro 28, 2017

      Deve ser porque você é burro demais ou ignorante pra assistir esses tipos de filme 🙂

  • Chainazy
    novembro 9, 2017

    O filme e top final surpreendent

  • Camila
    novembro 29, 2017

    Bipolaridade é mudança de humor e não personalidade. O transtorno que o personagem possui nada tem haver com bipolaridade e sim, dissociação de personalidade, a quantidade de personalidades não interfere no nome do transtorno. É bom pesquisar antes de se fazer um texto desse.

    • Ana Clara Carvalho
      novembro 30, 2017

      Eu tinha explicado embaixo que não era bipolaridade, mas obrigada pelo toque, aí troquei em cima também para não ter mais dúvidas. <3

  • Duda
    dezembro 1, 2017

    O filme é maravilhoso, e sua resenha melhor ainda parabéns 💓

  • Priscila Rebelato
    Fevereiro 3, 2018

    Ótimo post e esclareceu a minha certeza, da jovem abusada pelo tio. Tomara que venha o 2 pq estou ansiosa, que essa jovem consiga disparar a espingarda no tio ou melhor, fazê-lo sofrer lentamente kkkkk mas espero que Kevin ou suas outras identidades sejam boas no próximo filme!

    • Ana Clara Carvalho
      Fevereiro 3, 2018

      Acredito que não. Mas, pensando bem, verdade, algo o que pode acontecer, por exemplo, seria elas se rebelarem contra o que é muito ruim. Que seria uma briga interna muito tensa…

    • Sandra
      Fevereiro 10, 2018

      Pensei a mesma coisa…

  • Francisco Reitz
    Fevereiro 4, 2018

    Tudo ok até o momento, no entanto fica no ar para se pensar e refletir sobre a origem das personalidades. Vejam que atualmente os filmes abordam temas conhecidos com mais profundidade, colocando um pé além do mundo físico e das teorias já conhecidas. Tem momentos que a pesquisadora questiona e deixa em aberto se estas personalidades não seriam entidades ou espíritos usando o corpo receptivo do rapaz…uma passagem pela metafísica….bem interessante….tanto que cada personalidade assume características bem particulares como força física, habilidades extraordinarias e forma de se comunicar e expressar…..vale perceber e pensar a respeito…..gostei muito do filme…..como no final a 24 entidade A FERA ao tentar pegar a moça, viu marcas de sofrimento em seu corpo e desistiu, dizendo: Você é diferente, é pura porque conhece o sofrimento….REGOJIZE-SE!!!! Como apontam muitas profecias…..sim, o filme tem um pé no mundo não físico e espiritual!!!! Abraço.

  • Bruno
    Fevereiro 11, 2018

    Com sua explicação consegui entender coisas que não tinha entendido.. obrigado muito bom o filme..

    • Ana Clara Carvalho
      Fevereiro 12, 2018

      Muito obrigada, Bruno, acredito que ainda vamos nos surpreender muito com a proposta desse filme! (e com os próximos que virão)

  • Isaias
    Fevereiro 11, 2018

    Olá Ana, eu acabei de assistir o filme e suas explicações foram muito boas, inclusive comprovou o que eu estava achando desde do inicio do filme, que foi o fato dela ser abusada quando criança, mas o que me deixou confuso foi aquele final onde Bruce Willis aparece, o que significa aquele “Sr. Vidro” e o final em si ? Desculpa eu realmente não entendi essa parte.

    • Ana Clara Carvalho
      Fevereiro 12, 2018

      Ei, Isaias, fico feliz que tenha curtido. Mas essa foi realmente uma questão que não entrei no texto, mas que é muito importante. como não escrevi nada sobre ela ainda, acredito que vale a pena assistir ao vídeo (esse aqui: https://www.youtube.com/watch?v=aD8quf-679M) que explica esse final. Então, fica aí mais um filme para você assistir: UNBREAKABLE.

  • Grazi
    Fevereiro 14, 2018

    Olá, primeiramente gostei bastante da sua publicação , lia enquanto concluía o filme. Gostei do filme. Mas tem alguns pontos que ficaram meio “Soltos” pra mim:
    achei que o filme foi muito “raso” na apresentação dos personagens, o filme já começa jogando de cara as 3 vitimas juntas em situação cotidiana (festa de aniversário) e em menos de minutos já coloca o sequestrador simplesmente entrando em cena de forma súbita, ai eu fiquei meio que “oi?” , não foi explicado qual critério ele usou pra sequestrar as 3 e o motivo pra isso , fiquei ate a metade do filme na esperança de que haveria uma explicação para o porquê que ele seguiu elas por um tempo..
    A apresentação de algumas personalidades do Kevin foi o que mais me estigou a continuar a assistir, queria ver ate aonde seria apresentados e quantas seriam apresentadas, e nisso o enredo do filme veio em dose certa, foi apresentado personalidades que contribuíram para construção da história e cada uma deixava mais clara o propósito de todas as personalidades, e o final do filme foi satisfatório em relacao ao que foi construído no decorrer do filme , concluindo não a historia do Kevin e suas personalidades mas concluindo o sequestro que serviu apenas para apresentação desse personagem e da moca que era abusada….

    Acho que é isso ….

    Obg , gostei bastante do seu post ..

    • Ana Clara Carvalho
      Fevereiro 21, 2018

      Exatamente. Acabou que este filme foi simplesmente uma apresentação do que seria este personagem e suas personalidades. Está totalmente correto nisso!

      Muito obrigada!

What do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *