Histórias , ficção ‘

by

O mundo encantado de Jess

As minhas férias estão acabando e as aulas  começarão na semana que vem. Estou entrando no ensino médio, mas é um ano diferente para mim, porque estou me mudando de cidade com meu pai. Isso porque ele arrumou o grande emprego que sempre quis e me prometeu uma vida melhor – não que já não tivesse tudo que eu sempre quis em San Francisco, mas ele é meu pai e deve querer sempre o que tiver de melhor para mim – então não disse nada que pudesse magoá-lo. Hoje é domingo e estou arrumando minhas malas para a mudança.Amanhã iremos para Cambridge / Massachusetts.  É, vocês devem estar pensando que meu pai é louco de ir para o outro lado dos Estados Unidos, pode ter certeza, que estão totalmente certos. Fiquei o dia todo arrumando as coisas, e fui dormir tarde, nunca tive muitos amigos, mas os que tinha já eram suficientes para um bom convívio em San Francisco. Me despedi deles no sábado, eles vieram aqui e me desejaram boa sorte.

Logo de manhã, meu pai me acordou e disse que o caminhão de mudança já estava na porta. Fiz minha higiene e desci para tomar um café bem reforçado, para aguentar até que possamos fazer um lanchinho. A viagem seria muito longa, por ser uns 4.983 km  e estou levando muitos livros  – uns cinco – para ler durando esses 2 dias de viagem.

Os dois dias, foram simplesmente impossíveis de suportar. Foram dias que eu não recomendo a ninguém. Acho que não levei livros o suficiente, porque acabei de ler os cinco em apenas um dia de viagem. No outro, preferi ver a paisagem, dormir e escutar minhas músicas prediletas, a maioria falando de romance pelos quais nunca vivi. Meu pai era um homem muito fechado e nas poucas vezes que conversamos, ele já havia me avisado, que eu deveria apenas estudar e deixar os hormônios de lado. Espero que esses novos ares façam ele mudar de idéia.

Chegamos cedo em Cambridge, fui entrando na casa e era enorme e muito bonita por sinal. Em todas as minhas pesquisas que fiz pela internet antes de vir, não imaginava uma casa tão bonita e confortável. Fui logo subindo as escadas e entrei em um quarto lindo, era enorme o dobro do meu em San Francisco e fui logo gritando meu pai, para perguntar se poderia ficar com esse, ele me disse que sim, e fui logo pedindo para os carregadores que vieram conosco, colocar minhas coisas no quarto. Depois que minha cama e meu guarda-roupa já estávam postos, resolvi organizar as minhas coisas da mudança. Meu pai estava ocupado demais arrumando as coisas da cozinha no primeiro andar, que nem observou que estavam tocando a campainha e desci para atender, abri a porta e encontrei com três pessoas, uma era uma mulher alta, magra, que parecia ter uns vinte e poucos anos, os outros dois eram garotos, lindos por sinal, de cabelos e olhos claros que fizeram questão de me desejar boas vindas e perguntar em qual escola iria estudar, disse que não sabia ao certo, que meu pai iria resolver ainda e os convidei para entrar. Meu pai comprimentou todos e me pediu para que levasse os meninos para mostrar a casa nova – sim, parecia um pretesto para ficar a sós com a nova vizinha, mas resolvi não me entrometer -.

Mostrei tudo a eles, e resolvi por fim, levá-los ao meu quarto para que podessemos conversar. Abri a porta e fui perguntando os seus nomes e suas devidas idades. O mais alto, com olhos azuis, se chamava Jackson e tinha a minha idade. Já o outro, tinha uma beleza diferente de Jack e era mais fechado, como se não quisesse estar no meu quarto, ou até mesmo na minha casa e ter me conhecido.Ele tinha olhos verdes tão claros, que mesmo ele não trocando uma palavra comigo, não parava de olhar para ele. Esse garoto encantador de chamava Logan e era um ano mais velho que Jack. Depois de alguns minutos conversando no quarto, a mãe deles apareceu na porta do meu quarto, com meu pai e disse, que eles tinham que ir embora, porque já tinham compromisso marcado. Ela era uma pessoa simpática e parecia ser uma boa mãe para os meninos. Depois deles terem ido embora, meu pai passou o almoço inteiro falando deles, em especial dela, que se chamava Emma. Descobri que eles moram aqui a pouco tempo também, se mudaram ano passado e não conhecem muitas pessas aqui. Depois de  ter que escutar meu pai ficar falando da Emma mesmo após o almoço, fico entediada e vou para a porta de casa, ver o movimento.

Em nossa rua não se passava muitos carros, mas dos poucos que passavam já dava pra notar que as pessoas que moravam ali, eram sim, muito ricas. Me senti agulha no palheiro. Depois de ficar ali, sentada na escada de frente a porta, meu pai aparece me perguntando quais eram meus planos aqui em Cambridge. Disse a ele, que no momento era me acostumar com o lugar e fazer novas amizades e conhecer melhor os novos vizinhos, ele se animou com a idéia. Se levantou de onde estava sentado comigo, abriu a porta e disse que iria me ajudar com os vizinhos – confesso que fiquei curiosa em onde ele queria chegar com o que le acabara de me dizer: “ irei lhe ajudar com os vizinhos.”, o que será que Emma tem que fez ele mudar tão rápido de idéia sobre eu sair mais com os garotos? Adoraria saber, mas é melhor não implicar muito com isso, porque foi ótimo escutar isso da boca dele.- Entrei em casa toda animada e perguntei a ele o que iria fazer para me ajudar e ele me disse que iria convidar eles, para virem mais vezes aqui. Pulei nele e dei-lhe um beijo no rosto e subi as escadas rindo de tanta alegria. Depois de chegar no segundo andar, gritei-o perguntando se iria chama-los para vir aqui essa noite e ele disse que sim. E saiu de casa, para convidá-los. Entrei no meu quarto e abri as malas, a procura de uma roupa boa para usar essa noite, sem parecer chamativa demais. Eram ainda umas cinco horas da tarde e resolvi chamar meu pai para sair e conhecer nosso novo bairro. E meu pai aceitou. Fomos caminhando até a esquina quando vimos uma sorveteria que tinha açaí, descidi entrar com meu pai, para ver se é bom. Ficamos ali sentados esperando o açaí chegar e não demorou muito, apenas uns oito minutos, tempo o suficiente para perguntar para o meu pai, se os vizinhos aceitaram o convite e ele dizer que sim, que estão anciosos! Então o açaí chegou, demos a primeira culheirada e vimos que era bom demais, e já fomos pedindo mais para levar para a casa.

Comemos tudo e quando vou chegando em casa vejo  Logan sentado nas escadas da minha casa. Quando me viu foi logo comprimentando o meu pai e perguntando se poderia conversar comigo e ele disse que sim. Ele me levou a um parque que era até um pouco bonito e começou a coversar comigo. Pediu desculpas por não ter conversado comigo quando havia me visitado mais cedo e disse que não tinha nada haver comigo, que ele estava mal hoje. Perguntei porque e ele disse que era coisa de família e me chamou pra sair com ele amanhã de tarde para eu conhecer melhor os lugares mais badalados do bairro. E disse que ia ver com meu pai e que mais a noite – no jantar – o responderia, se ia mesmo. Ele ficou feliz, e me disse que estava ansioso para me conhecer melhor. Acho que fiz uma cara terrível porque ele riu muito da minha reação. Então, lhe perguntei, se ele queria açaí e ele disse que não estava com muita fome. E eu disse por  fim, que já era tarde e o jantar, estaria pronto as sete e já estava na hora. Ele me acompanhou até a porta e me disse que estaria aqui as sete. E se despediu, me dando um beijo no rosto. Eu entrei e fui direto para o banheiro tomar banho, sem dar motivos para meu pai me perguntar o que ele queria comigo.

Sai do banheiro, fui para o meu quarto trocar de roupa e desci as escadas até chegar a cozinha, onde meu pai estava levando as coisas para a copa. E veio até mim perguntando e se apoiando na bancada da cozinha: “ Posso saber o que ele queria com você ?”, entaão eu olhei para ele com um olhar de indiferença e disse:  “Ele apenas veio me pedir desculpas por não ter sido tão educado comigo hoje mais cedo, quanto o irmão dele e me chamar para sair amanha, mas você não irá se importar, certo pai ?” –fiz uma cara, que era como se não estivesse me importando pelo fato de em menos de um dia, em uma cidade nova, um dos meus vizinhos terem me convidado para sair, o que seria impossível em San Francisco. Meu pai fez uma cara de animado e disse que Logan parece ser um bom menino. Tentei não em animar muito, mas por dentro já estava pulando de alegria. A questão agora é: será que Logan está mesmo interessado por mim ou está curtindo com a minha cara ? Melhor não pensar muito nisso, afinal não quero ficar muito distraída na hora de conversar com ele hoje no jantar.

Enfim eram sete horas e a campainha tocou. Abri a porta e avistei Logan que estava encantador como hoje mais cedo; Jack que parecia estar chateado com alguma coisa e Emma que estava super animada – pelo visto para ver meu pai -. Chamei-os para entrar e levei-os para a copa, que estava toda arrumada, coisas do meu pai, claro! Ele era um ótimo dono de casa, pena que nela mesmo, não parava muito. Nos sentamos e meu pai tirou todas as tampas e falou para nos servirmos. Logan parecia estar tão nervoso com a minha resposta que ainda não tinha sido dada, que quase deixou cair o prato que estava com a sua comida. Não aguentando mais esperar por minha resposta, Logan se senta ao meu lado na mesa e me pergunta: “Jess, você vai sair comigo, amanhã a tarde?” e eu respondo que sim, que meu pai havia deixado eu sair com ele. Meu pai escuta e pergunta para onde iríamos. Logan sem jeito responde que vai me levar a alguns Lugares da cidade para eu a conhecer melhor. Sorrio. E continuamos comendo.

Jack estava voando comendo sua comida e acabou de come-la voando ainda. Estava de novo observando Logan, mas agora de uma forma diferente – que sim, eu espero que ele não tenha notado-. Acabamos de comer e fomos nos sentar na sala. os sofás estavam ainda tampados por causa da viagem, então nos assentamos no chão. Para minha surpresa Jack começou a conversa. Nossos pais estavam arrumando a copa e lavando a louça, então isso me deu a entender, que ele não estava a vontade com o fato de sua mãe e meu pai estarem juntos. Jack me pergunta se eu estava gostando de Cambridge, eu disse que até agora não tinha motivos para não gostar e que parecia ser um bom lugar para morar. Ele concordou e disse que depois de um tempo iria virar rotina- sim, Jack estava quase me expulsando de Cambridge, parecia que agora era ele que não queria que eu morasse aqui. Ao contrário de Logan que estava super animado com minha vinda para cá.-  Então Logan se vira para mim com um olhar contente e diz que fará de tudo para que minha vida aqui, não vire uma rotina. Sorrio, meus olhos começam a brilhar e eu e Logan ficamos parados um olhando para o outro. Até que Jack corta o clima e diz que já estava na hora deles irem embora. Então ele puxa Logan pelo braço, e vai chamar a Emma. Que diz que já está indo e demora séculos. Jack fica entediado e vai embora antes, deixando Logan e Emma na minha casa.

Emma e Logan continuam a lavar pratos, enquanto eu e Logan ficamos na sala, ele estava cheio de idéia para o novo ano letivo e meio triste por eu não ser um ano mais velha, para poder ter uma esperança de estar na mesma classe que ele. Logan me pareceu ser um cara legal e quem sabe o meu futuro primeiro namorado. Mas acho que seria impossível por meu pai ter fobia de meninos em uma etapa melhor de amigos. Mas a esperança é a última que morre.

Eram quase uma da manhã, quando nossos papos ainda iam fluindo e já estava quase a me apaixonar perdidamente por Logan, quando a mãe dele aparece na porta da copa, com o cabelo todo bagunçado, dando tchau e chamando o futuro genro do meu pai para ir embora. Vou até a cozinha dou boa noite para o meu pai e ele me deseja boa noite e diz que amanhã nos iremos visitar escolas para ver qual eu desejo ficar. Disse a ele, que queria ficar na mesma escola que Logan e Jack, já que são os únicos que conheço realmente aqui. Ele concordou e fui dormir feliz.

Ao acordar com o despertador tocando seis e meia, notei que ainda estava programado para tocar em segundas-feiras, esse horário. Já que era a hora de ir para minha aula de violão, porém aqui, já não tenho esse prazer as segundas. Levantei, tomei banho, escovei os dentes, troquei de roupa e desci. Comecei a ajeitar a casa para ajudar meu pai que deveria estar cansado com a noitada com Emma ontem a noite.

Arrumei tudo e o folgado do meu pai só acordou meio dia. Ainda bem que a casa já estava arrumada, porque logo em seguida a campainha tocou e adivinha era Logan, me chamando para almoçar fora com ele e ver o Filme Alice em 3D com ele. Perguntei para o meu pai se ele deixava e por um milagre ele aceitou. Me arrumei e fui para o Shopping com ele.

Quando chegamos lá, Logan decidiu escolher o lugar onde comeriamos e acabou escolhendo a sorveteria, disse a ele que deveriamos comer, já que estamos em fase de crescimento. Mas ele me olhou com uma cara estranha e disse que se crescer mais vai virar construtor de apartamentos ou limpador de janelas, já que vai ser alto o suficiente para alcançar as do 3 andar. Começamos a rir. Decidi então comer açaí, como de costume. Ele me revelou agora que ama sorvete de banana. E eu fui logo pensando: “E se ele me pedir para ficar com ele dentro do cinema? Acho que vou passar mal com aquele gosto de sorvete de banana na boca dele.” Então pedi para que ele tomasse açaí junto comigo, porque por engano pedi o de 700 ml, ele muito gentil aceita.

Terminamos de comer eram duas e meia, a sessão do filme seria as três. Saimos correndo da praça de alimentação e fomos para a bilheteria de cinema, compramos a tempo e entramos. No meio do caminho começamos a conversar sobre namorados e eu tive que confessar que nunca namorei antes – por culpa do meu pai. Ele então, me confessa que nunca teve vontade antes, por nunca ter gostado de verdade de alguém, mas que hoje ele tem muita vontade, mas tem vergonha de pedir para namorar esta pessoa, porque não cre que ela, uma pessoa tão legal e bonita, venha a se interessar com ele. Eu então pergunto quem seria essa pessoa tão sortuda. Ele cora e diz:” Essa pessoa, é você Jess.” Eu fico mais corada ainda que ele e sem fala. Logan fica surpreso com minha reação e diz: “Sabia que você não iria gostar de um menino como eu!”, então eu crio coragem nao sei de onde e digo:” Você se enganou, eu gosto muito de você e nunca senti isso antes por ninguém, acho que você fez bem em me contar isso, porque não teria coragem de contar.” Ele abriu um sorriso lindo e me abraçou. Olhou em meus olhos e me beijou. Foi lindo, meu primeiro beijo finalmente. Podem até me achar boba, mas a partir de hoje não quero mais beijar outro menino que não seja o Logan. Agora sim, estou me apaixonando pela primeira vez.

Ele segurou minha mão e foi segurando-as até a sala de cinema, pegamos nossos óculos 3D e entramos. A sala de cinema já estava lotada, só achamos lugares no cantinho, na ultima fileira. Nos sentamos e então ele coloca seu braço sobre meus ombros. Ainda estava passando os Trailers quando Logan começou a dizer em meus ouvidos que me amava e que faria tudo para ficar comigo aqui, até pediria o meu pai para ele namorar comigo. Olhei para ele nos olhos e perguntei-o se teria mesmo coragem e ele gesticulou com a cabeça mostrando que sim, ele teria mesmo coragem. Abriu em meu rosto um sorriso espontâneo que eu acho que nunca dei, em todos os meus 15 anos de vida.

No meio do Filme faltando vinte minutos para acabar a sessão, Logan tenta me beijar, porém na mesma hora a Alice consegue matar o dragrão e todos começaram a falar: “ARGTH , que nojo!” e não rolou, porque eu acabei virando na hora para ver o que tinha acontecido. Eu sou uma tola mesmo!

Enfim, acaba o filme, sincera mente esperava mais de Alice, mas ter escutado que Logan me amava superou todas as falhas do filme ser bom. De fato, nunca esquecerei suas palavras:” Jess, eu te amo e eu farei tudo para estar com você sempre. Quero namorar com você, peço até permissão para o seu pai, tudo para que dê certo, meu amor.” De fato, eu quero mesmo que dê certo e também faria de tudo para que isso acontecesse. Saímos da sessão. já eram quatro horas e decidimos ir para casa. Chegamos eram quase ser cinco horas. Meu pai estava com a Emma, sentados no sofá e quando eu e Logan chegamos atrapalhamos um belo beijo dos dois. Pedimos desculpa e subimos para a sala de tv, do segundo andar.

continua ..

No Comments Yet.

What do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *